Tesouro neoclássico perdido ganha vida digitalmente

by singteam

Dentre os prédios clássicos destruídos ao longo dos séculos pela guerra, desastres e desenvolvedores, poucos têm a destruição tão lamentada como o Banco da Inglaterra por volta do século XVIII.

A obra-prima neoclássica projetada e construída ao longo de quatro décadas sob a direção de Sir John Soane ficava no coração da cidade de Londres, até o final de 1920, quando um reprojeto a alterou de forma irrevogável. O trabalho de Soane ainda é muito considerado hoje em dia em razão do uso notável da iluminação natural e impressionantes efeitos de escala.

Para preencher o vazio, a NVIDIA e a HP juntaram forças neste verão em uma iniciativa chamada Projeto de Soane, que reuniu cerca de 400 arquitetos de todo o mundo para criar um modelo digital do projeto original usando a tecnologia de modelagem baseada em informações sobre o prédio.

Estamos anunciando a segunda parte desta iniciativa: um concurso de renderização que começa na Autodesk University em Las Vegas em 1º de dezembro.

O resultado do concurso será recriações visuais de diversas seções da obra-prima arquitetônica para o mundo desfrutar.

Project Soane: Bank of England
Banco da Inglaterra de Soane: Vista da esquina Tivoli (1807). Imagem de cortesia dos curadores do Museu Sir John Soane.

Tesouro perdido

Soane, professor na Royal Academy, foi nomeado arquiteto e agrimensor do Banco da Inglaterra em 1788 e começou a reprojetar o prédio em estilo neoclássico.

Mas a partir de 1925, o banco foi reformado para expandir e modernizar a estrutura, demolindo quase toda a contribuição de Soane no processo. Alguns estudiosos consideram que esta foi uma das perdas arquitetônicas mais significativas da modernidade na Inglaterra.

Project Soane: Bank of England Interior
Banco da Inglaterra de Soane: Vista do escritório de transferência Consols conforme foi construído e pintado por Joseph Michael Gandy com os personagens acrescentados por Antonio van Assen (1799). Imagem de cortesia dos curadores do Museu Sir John Soane.

Atendendo ao nosso chamado, entusiastas colaboraram nos últimos meses para reconstruir digitalmente as principais seções deste tesouro neoclássico. Com o Autodesk A360 servindo como uma plataforma de colaboração, a equipe de crowdsourcing usou o software Autodesk Revit para criar modelos digitais com base em desenhos originais fornecidos pelo Museu Sir John Soane.

Restauração virtual

Agora, estamos convidando arquitetos e especialistas em visualização para criar renderizações dos modelos de crowdsourcing do Revit da primeira fase. É uma oportunidade para eles mostrarem a sua experiência em visualização de projetos. Estamos especialmente animados para ver renderizações fotorrealistas de alta qualidade criadas com os mecanismos de renderização acelerados por GPU, como o NVIDIA Iray.

Os participantes podem testar as ferramentas de renderização de fácil utilização, como os plug-ins. NVIDIA Iray para Revit e o NVIDIA Iray para 3ds Max. Esses aplicativos simplificam e aceleram os fluxos de trabalho de renderização baseados fisicamente. E o Iray pode ser ainda mais acelerado quando executado no NVIDIA Quadro VCA, um dispositivo de computação visual conectado à rede que aumenta a velocidade das GPUs para promover o poder de renderização massivamente escalável.

A NVIDIA e a HP premiarão os vencedores do concurso de renderização com alguns prêmios excelentes. Portanto, se você é um apaixonado pela visualização de projetos arquiteturais, participe dessa missão.