Novidades na decoração: como aplicar a AI para simplificar a próxima transformação da sua sala

Tradicionalmente, comprar móveis apresentava duas limitações principais: estoque e imaginação.

O roteiro típico do consumidor do varejo: entrar em uma loja, examinar o número limitado de produtos oferecidos no mostruário e escolher algo, mesmo que não fosse exatamente o que ele procurava. Alguém mais ambicioso poderia ampliar as possibilidades examinando um catálogo ou comparando amostras de cores, tentando imaginar como ficaria a nova poltrona na sua sala de estar.

Graças aos avanços da inteligência artificial e da aprendizagem de máquina, isso está mudando. Muitas empresas e muitos pesquisadores de universidades estão experimentando técnicas de deep learning suportadas por placa de vídeo em opções para o varejo que deixarão as compras mais fáceis e precisas do que nunca.

Dois exemplos: a startup GrokStyle está desenvolvendo um aplicativo que os consumidores podem usar para tirar fotos dos móveis de que gostarem, seja em um catálogo ou ao vivo, e depois o aplicativo encontra correspondências e determina a disponibilidade em diversos varejistas na Internet. A gigante de mobiliário e decoração Ashley Furniture HomeStores está eliminando as suposições das compras, pois permite que as pessoas vejam os produtos em representações virtuais de suas casas.

“Nosso objetivo é reduzir as diferenças entre a inspiração e a compra, facilitando a busca e a compra de objetos interessantes que você só encontra online ou no mundo”, declara Sean Bell, CEO e cofundador da GrokStyle.

Visão computacional chega ao varejo

GrokStyle app for furniture shopping
Com o aplicativo da GrokStyle, é possível enviar uma foto para encontrar produtos correspondentes a itens específicos, ou enviar um item para encontrar produtos nas lojas online. Imagem cedida pela GrokStyle.

A ideia da GrokStyle surgiu do trabalho de doutorado de Bell na Cornell University com um de seus professores, Kavita Bala, que foi cofundador da jovem empresa e atua como cientista-chefe. Os dois perceberam uma divisão substancial entre as descobertas da pesquisa no campo da visão computacional e o que estava sendo disponibilizado aos consumidores e varejistas.

Embora houvesse milhões de fotos de produtos disponíveis na Internet, não existia um modo fácil de navegar por elas nem as acessar, muito menos de corresponder uma foto às opções.

A dupla criou um algoritmo de correspondência de fotos, treinando dezenas de milhares de modelos em milhões de imagens usando placas de vídeo NVIDIA, a plataforma de computação paralela CUDA e a biblioteca de redes neurais profundas CUDA. Os computadores AWS (EC2 séries G2 e P2), com as placas de vídeo NVIDIA, processam e fazem a correspondência de imagens carregadas com um bando de dados enorme de mobiliário e decoração.

“As placas de vídeo foram fundamentais para possibilitar a realização do treinamento, dos testes e da implementação de modelos de redes neurais”, declara Bell. “Essa tecnologia não existiria sem as placas de vídeo. Elas nos permitiram explorar e comparar algoritmos com mais agilidade.”

Bell aponta que a tecnologia da GrokStyle poderia ser aplicada a muitos produtos ao consumidor, mas os móveis se revelaram um bom ponto estratégico inicial.

“Nós optamos por nos concentrar inicialmente em móveis, pois eles têm um forte componente visual e estético e porque nós conseguimos demonstrar uma precisão ainda maior em função da natureza sólida dos objetos do mobiliário”, declara.

Bell prevê que a tecnologia da GrokStyle ajudará, no devido tempo, os varejistas dos setores imobiliário, moda, arte, design e robótica, para citar alguns. Se parece que ele imagina a tecnologia da empresa chegando a todos os lugares, é porque ele acredita nisso.

“Gostaríamos de nos tornar a plataforma de buscas visuais e AI relacionada à estética”, afirma. “Nós avaliamos todas as partes do pipeline de buscas visuais e o aprimoramos, o que, no conjunto, nos proporciona o algoritmo de buscas visuais mais preciso para o varejo.”

VR para uma conexão emocional

Enquanto a GrokStyle se concentra nas compras pela Internet, a empresa de realidade virtual Marxent trabalha com a Ashley Furniture HomeStores, a maior loja de móveis tradicional do país, para desenvolver um balcão tecnológico de VR dentro da loja e um aplicativo de VR, que deverão ser apresentados no fim deste ano.

A Ashley usa a plataforma VisualCommerce da Marxent para criar e dimensionar seu catálogo de produtos, além de publicar novas experiências com produtos 3D para AR e VR. Além de fazer compras virtuais, com essas experiências, os consumidores também colocarão os móveis dentro de casa para ver como ficariam.

Para isso, a Marxent conta com as placas de vídeo NVIDIA GeForce GTX 1080 a fim de fornecer o poder de processamento necessário para renderizar imagens VR com eficácia. Vince Kilian, gerente de produtos da Marxent, afirmou que as demonstrações de VR precisam ser executadas a uma taxa de atualização mínima de 90 Hz, que permita usar uma velocidade de 90 frames por segundo, ou haverá o risco de deixar as pessoas nauseadas.

“As placas de vídeo fazem todo o trabalho pesado por nós”, declara Kilian.

Segundo ele, o objetivo é proporcionar aos consumidores uma conexão mais emocional com a experiência de comprar. Nem todos os clientes potenciais da Ashley moram perto de alguma loja da empresa, por isso Kilian gostaria de ter, no futuro, aplicativos de VR na nuvem para que as pessoas possam ter uma experiência simulada de compras em suas casas.

“Estamos nos estágios iniciais em que nem todos têm um Vive, um Oculus ou um PC capaz de executar esses gráficos de ponta”, declara. “Eu imagino um mundo onde existe muita demanda por esse tipo de experiência e elas deslancham.”

Histórias semelhantes