Amgen Construirá Modelos de IA Generativa para Novos Insights de Dados Humanos e Descoberta de Medicamentos

Empresa de biotecnologia planeja avançar na descoberta de medicamentos usando insights NVIDIA DGX SuperPOD de conjuntos de dados humanos líderes mundiais.
por Alessandro Oliveira

A IA generativa está transformando a pesquisa e o desenvolvimento de medicamentos, permitindo novas descobertas mais rápido do que nunca e a Amgen, uma das principais empresas de biotecnologia do mundo, está aproveitando a tecnologia para impulsionar suas pesquisas.

A Amgen construirá modelos de IA treinados para analisar um dos maiores conjuntos de dados humanos do mundo em um NVIDIA DGX SuperPOD, uma plataforma de data center full-stack, que será instalada na sede da DeCODE genética da Amgen em Reykjavik, Islândia. O sistema será batizado de Freyja em homenagem à poderosa deusa nórdica que dá vida associada à capacidade de prever o futuro.

Freyja será usado para construir um atlas de diversidade humana para a descoberta de biomarcadores específicos de alvos de medicamentos e doenças, fornecendo diagnósticos vitais para monitorar a progressão e regressão da doença. O sistema também ajudará a desenvolver modelos de medicina de precisão orientados por IA, potencialmente permitindo terapias individualizadas para pacientes com doenças graves.

A Amgen planeja integrar o DGX SuperPOD, que contará com 31 nós NVIDIA DGX H100 totalizando 248 GPUs H100 Tensor Core, para treinar modelos de IA de última geração em dias, em vez de meses, permitindo que os pesquisadores analisem e aprendam com mais eficiência com os dados em sua busca por novos insights de saúde e terapêutica.

“Por mais de uma década, a Amgen vem se preparando para este momento de mudanças que estamos vendo na indústria, impulsionado pela união de tecnologia e biotecnologia”, disse David M. Reese, vice-presidente executivo e diretor de tecnologia da Amgen. “Estamos ansiosos para combinar a amplitude e a maturidade de nossos recursos de dados humanos de classe mundial na Amgen com as tecnologias da NVIDIA.”

O objetivo do fundador e CEO da deCODE, Kári Stefánsson, ao iniciar a empresa era entender as doenças humanas observando a diversidade do genoma humano. Ele previu em um podcast recente da Amgen que, nos próximos 10 anos, os médicos usarão rotineiramente a genética para explorar doenças incomuns em pacientes.

“Este SuperPOD tem o potencial de acelerar nossa pesquisa, treinando modelos mais rapidamente e nos ajudando a gerar perguntas que talvez não tivéssemos pensado em fazer”, disse Stefánsson.

Colocando a Tecnologia em Biotecnologia

Desde sua fundação em 1996, a deCODE selecionou mais de 200 petabytes de dados humanos não identificados de quase 3 milhões de indivíduos.

A empresa começou coletando dados não-identificados de islandeses, que têm uma rica herança em genealogias que se estendem por séculos. Esses dados em escala populacional de voluntários de pesquisa fornecem percepções únicas sobre a diversidade humana à medida que ela se aplica a doenças.

O deCODE também ajudou a sequenciar mais de meio milhão de genomas humanos de voluntários do UK Biobank.

Mas extrair insights desses dados requer sistemas de IA poderosos.

Ao integrar novas tecnologias poderosas, a Amgen tem a oportunidade de acelerar a descoberta e o desenvolvimento de medicamentos que mudam vidas. Em março de 2023, a NVIDIA anunciou que a Amgen se tornou uma das primeiras empresas a empregar o NVIDIA BioNeMo, que os pesquisadores usaram para construir modelos de IA generativa para acelerar a descoberta e o desenvolvimento de medicamentos. Os pesquisadores da Amgen também têm acessado o BioNeMo via NVIDIA DGX Cloud, um serviço de supercomputação de IA.

“Modelos treinados no BioNeMo podem avançar na descoberta de medicamentos em várias frentes”, disse Marti Head, diretor executivo de ciências computacionais e de dados da Amgen. “Além de ajudar a desenvolver medicamentos mais eficazes, eles também podem ajudar a evitar efeitos indesejados, como respostas imunológicas, e novos biológicos podem ser feitos em volume.”

Ao adotar o DGX SuperPOD, a Amgen está pronta para obter insights de dados sem precedentes com o potencial de mudar o ritmo e o escopo da descoberta de medicamentos.

“A fusão de IA avançada, desenvolvimentos inovadores em biologia e engenharia molecular e grandes quantidades de dados humanos não estão apenas remodelando a forma como descobrimos e desenvolvemos novos medicamentos; eles estão redefinindo a medicina”, disse Reese.

Saiba mais sobre a plataforma de IA da NVIDIA para área da saúde e biomedicina.